Sim, os brasileiros estão vaiando cenas gays da biografia do Queen no cinema

Bohemian Rhapsody é um dos filmes mais aguardados do calendário de cinema em 2018. Como o nome já dá uma pista, o longa conta a história do emblemático líder da banda Queen.

Mas, nem o fato de se tratar de um dos nomes mais importantes das artes do século 20 demoveu alguns espectadores de manifestarem sua homofobia. Parte da plateia vaiou as cenas  homoafetivas exibidas em Bohemian Rhapsody.

Talvez estas pessoas não saibam, mas apesar de raramente falar sobre a vida pessoal, o africano nascido em Zanzibar nunca fez questão de esconder a orientação sexual. Pelo contrário, a morte precoce de Freddie Mercury aos 45 abriu espaço para a prevenção contra o vírus HIV.

 

 

Ainda na década de 1970, Freddie Mercury assumiu uma relacionamento com a vendedora de roupas Mary Austin. Durante o romance, ele revelou ser homossexual, no entanto, os dois mantiveram uma grande amizade. Mercury deixou para ela sua mansão em Londres e os direitos autorais de sua discografia.

Se você quer saber mais sobre a vida do artista, clique aqui para ver fotografias de momentos de intimidade entre Freddie e seu namorado, Jim Hutton, que viveu com o líder do Queen dos anos 1980, até sua morte em 1991.

Bohemian Rhapsody é estrelado pelo ator Rami Malek e apenas no fim de semana de estreia, a cinebiografia arrecadou 50 milhões de dólares. Com isso, a produção se tornou a segunda melhor estreia de um longa musical na história dos Estados Unidos.

 

 

Redacao

Eu posso resistir a tudo, menos à tentação! As pessoas normais me assustam! "Cria Cuervos Y Te Sacarán Los Ojos!" Contato: redacao@culturasemfrescura.com.br